Em trecho da delação de Joesley Batista que motivou a abertura de inquérito contra Michel Temer por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça, o dono da JBS relata uma suposta conversa comprometedora com o presidente da República.

Segundo Joesley, Temer teria dito que “poderia ajudar (Eduardo) Cunha no Supremo Tribunal Federal com 2 (ministros), mas que com 11 seria complicado”. O empresário não especifica quem seriam os "dois".

Veja:

Em outro momento, Joesley revela gravação em que Michel Temer teria dado a "anuência", na interpretação da Procuradoria-Geral da República, para o pagamento de mesada a Cunha, ex-presidente da Câmara já preso e condenado em primeira instância na Lava Jato. Os pagamentos seriam para manter o ex-deputado e o doleiro Lúcio Funaro, também preso, "calmos", segundo o dono da JBS.