O grupo Vem Pra Rua decidiu, por "motivos de segurança", cancelar o ato que havia marcado na Avenida Paulista às 14 horas no domingo (21). O protesto pela saída do presidente Michel Temer ocorreria simultaneamente à manifestação convocada no mesmo local por movimentos de esquerda, como a Frente Brasil Popular e o Povo Sem Medo, para pedir uma nova eleição direta para o cargo de presidente.

Segundo o anúncio feito na página do Vem Pra Rua no Facebook no início da tarde desta sexta-feira (19), o adiamento do ato "não significa recuo". "Nada abala nossa convicção de que todos, sem exceção e de que partidos forem, devem ser punidos pelos crimes cometidos", afirma a nota. O texto também diz que o grupo "repudia qualquer movimento em relação a eleições diretas neste momento".

O Movimento Brasil Livre (MBL), por sua vez, esclarece que sequer convocou protesto para o próximo domingo. "Tem questões de segurança que não podem ser ignoradas", disse um dos coordenadores do grupo, Renan Santos.

Ele afirma que a Virada Cultural de São Paulo, com eventos espalhados por diferentes regiões da cidade, afeta o efetivo da Polícia Militar que poderia ser deslocado para acompanhar uma eventual manifestação na Paulista.