O mercado internacional do tráfico de mulheres opera com maior facilidade no período de Carnaval, impulsionado pelo aumento da chegada de turistas estrangeiros no país e pelo apelo sexual da festa. Com valores de até US$ 20 mil, as mulheres brasileiras se tornaram o alvo preferencial das organizações criminosas que agenciam o comércio ilegal de pessoas. De acordo com a Secretária Estadual de Justiça de São Paulo, Eloisa Arruda, o tráfico humano acontece principalmente entre as mulheres negras na faixa etária de 15 a 27 anos. O Brasil é o maior exportador de mulheres das Américas. As brasileiras e as nascidas nos países do leste europeu estão entre as mais traficadas no comércio mundial, que já desponta como o segundo mais rentável do mundo. De acordo com a Organização Internacional do Trabalho, o lucro mundial com esse tráfico chega a US$ 32 bilhões ao ano, equiparando-se ao tráfico de drogas. Ouça os detalhes com o repórter Jovem Pan Leandro Andrade.