Quatro pessoas morreram e três ficaram feridas depois que um caminhão basculante, que carrega uma caçambas, derrubou nesta terça-feira uma passarela na Linha Amarela, na Zona Norte do Rio de Janeiro, informaram fontes oficiais.


De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu às 9h15 na via expressa que liga as zonas Norte e Oeste do Rio. Em entrevista coletiva, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, relembra caminhões não deveriam circular no local no horário da batida.


"Estamos priorizando o atendimento às vítimas e, depois, buscar liberar o mais rápido possível a Linha Amarela, que é uma via importante para a cidade", disse Paes, que ainda recomendou aos cariocas que evitassem o trajeto senão em extrema necessidade.


O prefeito explicou ainda o que seria a causa do acidente: "O que se especula é que a caçamba foi levantando, imagino eu, sem o motorista saber". O dirigente completou: "E o horário não era permitido para caminhão".


O acidente


Pelo menos três carros e uma moto ficaram totalmente esmagados sob a enorme massa de ferro e concreto que virou a estrutura e que cobriu as oito pistas da via, de acordo com a Lamsa, concessionária que administra a Linha Amarela.


A passarela veio abaixo depois que um caminhão com uma caçamba de mais de 4,5 metros de altura, que segundo algumas testemunhas estaria levantada, tentou passar pelo local.


A passagem de pedestres era usada como via de acesso pelos moradores da favela Rato Molhado e por pessoas que iam ao Norte Shopping, o maior centro comercial na zona norte da capital fluminense.


Duas pessoas que estavam sobre a estrutura foram lançadas em direção a um córrego que divide a via expressa.


Alguns feridos foram retirados do local do acidente em dois helicópteros usados pelo Corpo de Bombeiros nos trabalhos de resgate, e estima-se que haja mais vítimas.


O acidente obrigou as autoridades de trânsito a impedir a entrada de veículos na Linha Amarela, e um engarrafamento gigantesco tomou dois sentidos da via.