O governador Geraldo Alckmin vetou o projeto de lei que previa o parcelamento do IPVA em até dez vezes em São Paulo. Criado pela deputada Bete Sahão (PT), o projeto tinha sido aprovado em setembro pela Assembleia Legislativa.


Segundo a equipe jurídica do Estado, a medida afronta as normas de gestão financeira da administração pública. A principal justificativa é a necessidade de fazer caixa no começo do ano.


De acordo com o governador, metade do IPVA vai para as prefeituras, que também depende dos recursos. O benefício de pagamento em dez vezes, no entender do executivo, fere as normas do código brasileiro de trânsito.


Além disso, Alckmin alegou que a arrecadação do ICMS é mais baixa. O governo de São Paulo explica que o modelo atual está em conformidade com o sistema do Detran.


No estado, o imposto é parcelado em três vezes. Já o desconto no pagamento à vista em janeiro fica em 3%.