Depois dos dois dias de desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo, a chuvosa e fria madrugada de segunda-feira foi marcada pela passagem, no Sambódromo do Anhembi, das oito escolas do grupo de Acesso, todas pensando em obter uma das duas vagas disponíveis na elite do samba paulistano no ano que vem.

Como explicou Daniel Lian, o atraso para o começo do evento superou duas horas, o que deve ter deixado apreensivos os integrantes da Torcida Jovem, escola que estreava na “segunda divisão” com um enredo sobre a realeza. Na sequência, foi a vez da Acadêmicos do Tatuapé, que mostrou o domingo, esse dia tão esperado pelos brasileiros, aparecendo depois a Imperador do Ipiranga, que falou sobre os personagens do Carnaval.

Quarta escola, a Morro da Casa Verde apresentou a Bahia, sendo seguida pela tradicional Camisa Verde e Branco, que mostrou a Avenida Paulista para o público e o jurado. A Uirapuru da Mooca optou por falar sobre os bares, enquanto a Leandro de Itaquera teve os líquidos como temas, e a Dragões da Real, que utilizou os contos de fada para passar pelo Anhembi