A Prefeitura de São Paulo quer ampliar em 50% a frequência de público nas bibliotecas municipais e anuncia a abertura dos espaços aos domingos. O objetivo do programa "Biblioteca Viva" é transformar os locais de leitura em polos com atrações educativas e culturais.

Além disso, todos os equipamentos terão wi-fi livre e mudança na organização dos livros para atrair novos leitores. O projeto da Prefeitura prevê ainda que autores consagrados virem padrinhos de algumas bibliotecas e se envolvam na programação literária.

A administração municipal quer agilizar a aquisição de exemplares para que lançamentos não demorem muito tempo para chegar nos espaços públicos.

O prefeito de São Paulo, João Doria, explica que o objetivo da proposta é transformar as bibliotecas em locais mais convidativos para a população.

Segundo a Prefeitura, o modelo que será adotado em São Paulo é semelhante ao que já existe em outras cidades como Medellín, na Colômbia. O secretário de Cultura, André Sturm, ressalta como será a exposição dos livros a fim de aumentar o interesse dos possíveis leitores.

O secretário explicou ainda que a Mário de Andrade não vai participar do programa, mas continuará funcionando normalmente 24 horas por dia, ao contrário do que se especulava. As bibliotecas terão programação aos domingos a partir de abril e a Prefeitura estuda abrir cafeterias nos espaços por meio de concessão.