As multas por excesso de velocidade foram disparadas as campeãs de 2016. De acordo com o levantamento do Denatran, mais de 14,5 milhões de multas foram dadas aos motoristas que ultrapassaram o limite permitido nas vias, isso equivale a 76% das punições aplicadas no ano passado. No total foram 19,3 milhões. O número é 18% maior que em 2015.

A segunda infração com maior incidência foi o farol desligado em rodovias e túneis. Até o ano retrasado não era obrigatório o farol baixo aceso, mas a regra passou a valer em julho passado.

O diretor do Denatran, Elmer Coelho, expôs os motivos da determinação da norma: “é salutar que se acenda os faróis para prevenir acidentes. Veículo com luz acesa se torna mais perceptível”.

Todas as multas do Código Nacional de Trânsito tiveram reajustes no ano passado, com as mais graves 66% mais caras. Falar ao celular, por exemplo, passou a ser classificado de média para gravíssima e a multa fica em R$ 293.

“Mesmo parado, o motorista deve permanecer atento”, atentou o diretor do Denatran.

*Informações do repórter Levy Guimarães