0:00
0:00

CNBB manifesta “espanto e indignação” com denúncias de corrupção da Lava Jato

  • Por Estadão Conteúdo
  • 19/05/2017 13h09
JF DIORIO/ESTADÃO CONTEÚDOJF DIORIO/ESTADÃO CONTEÚDODom Sérgio da Rocha - CNBB
SP - CNBB/ASSEMBLEIA - GERAL - Cardeal Sérgio da Rocha participa da 55ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realizada no complexo do Santuário Nacional de Aparecida, na cidade de Aparecida, interior de São Paulo, nesta quarta-feira, 26. 26/04/2017 - Foto: JF DIORIO/ESTADÃO CONTEÚDO

A cúpula da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) manifestou “espanto” e “indignação” diante das “graves” denúncias de corrupção investigadas pela Operação Lava Jato. Em nota divulgada nesta sexta-feira (19), os dirigentes da entidade ressaltam que “saídas” para a atual crise devem respeitar e fortalecer o Estado democrático de direito. “Tais denúncias exigem rigorosa apuração, obedecendo-se sempre as garantias constitucionais”, ressalta o documento. 

“Apurados os fatos, os autores dos atos ilícitos devem ser responsabilizados”, comenta a CNBB. “A vigilância e a participação política das nossas comunidades, dos movimentos sociais e da sociedade, como um todo, muito podem contribuir para elucidação dos fatos e defesa da ética, da justiça e do bem comum.”

O documento é assinado por dom Sérgio da Rocha Krieger, presidente da CNBB, dom Murilo Ramos, vice-presidente, e dom Leonardo Ulrich Steiner, secretário-geral. “A superação da grave crise vivida no Brasil exige o resgate da ética na política que desempenha papel fundamental na sociedade democrática. Urge um novo modo de fazer política, alicerçado nos valores da honestidade e da justiça social”, avaliam os religiosos. 

Os bispos citam declaração do Papa Francisco, pronunciada em Roma, em 2013. “Na vida pública, na política, se não houver a ética, uma ética de referimento, tudo é possível e tudo se pode fazer.”