O primeiro dia da segunda fase da Fuvest, quando são feitas a prova de Português e a redação, é o que os candidatos aos cursos mais concorridos da Universidade de São Paulo (USP) têm menor desempenho. É o que mostra levantamento do cursinho Poliedro. 

De acordo com o levantamento, para as carreiras de Direito, Engenharia na Escola Politécnica, Medicina, Administração e Arquitetura, a prova de Português tem peso de 19% na nota final e a redação, de 13%. Em Medicina, por exemplo, há sete edições o primeiro dia é o que os candidatos têm menor nota. No ano passado, a média foi de 73 pontos; no segundo dia, foi de 77,8 e, no terceiro, 90,6. Para professores de cursinho, o baixo desempenho se deve, principalmente, à dificuldade dos alunos em fazer a redação e a prioridade às demais disciplinas.

Vinicius Haidar, coordenador do cursinho Poliedro, disse que os alunos negligenciam o Português e perdem a oportunidade de se destacar. "Acreditam que Português é só ler e interpretar, mas a prova da Fuvest é muito bem elaborada e criteriosa, cobra conteúdo e capacidade de fazer relações e análises." 

"É uma prova muito completa, que tem uma cobrança que se distancia do que é estudado nas escolas medianas e fracas", afirma Eduardo Valladares, gerente pedagógico e professor de Português do Descomplica. Haidar também observa que muitos não leem os nove livros obrigatórios e acabam sendo prejudicados. 

Redação

Simone Motta, professora do colégio Etapa, destaca que "a redação nunca é muito fácil, pois demanda conhecimentos de diversos extratos da vida do aluno". "Ele tem de ter repertório cultural, histórico, deve dominar os instrumentos para um bom texto e ter boa organização mental para apresentar o conhecimento de forma coerente. E com um tema subjetivo é ainda mais difícil." 

Professores sugerem estudar provas de ano anteriores, como fez Luiz Eduardo Gomes Farias Filho, de 20 anos, candidato de Medicina. "A Fuvest é muito peculiar, tem um formato muito específico", ressalta.

Outras matérias

De acordo com Marcelo Dias, coordenador-geral do Curso Etapa, as provas de Geografia e História costumam exigir que o aluno contextualize assuntos atuais usando conceitos geográficos e eventos em períodos históricos. 

Em Química, segundo Dias, a prova tem predomínio de questões que cobram conceitos de físico-química e cálculo estequiométrico. Em Física, a prova sempre traz questões de mecânica, eletricidade, termodinâmica e eletromagnetismo. 

Em Biologia, a prova utiliza gráficos e tabelas e exige interpretação de fenômenos. Já em Matemática as questões passam por geometria plana, espacial e analítica, logaritmo e exponenciais, combinatória, probabilidade e trigonometria. Dias ressalta a importância de prestar atenção aos enunciados.