0:00
0:00

“Dar mais atenção para energias limpas e renováveis, a exemplo do que é o etanol”

  • Por Jovem Pan
  • 28/05/2014 16h14
DivulgaçãoDivulgaçãoElizabeth Farina

Elizabeth Farina, presidente da UNICA, União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo. Professora titular aposentada da Faculdade de Economia, Administração e Contábeis da USP, Farina graduou-se em Economia pela mesma Universidade de São Paulo, fazendo doutorado e livre-docência na área. Presidiu ainda o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) por quatro anos e é membro do o Conselho de Economia e do Conselho do Agronegócio, ambos da FIESP.

O que fazer por um Brasil Melhor?

“Eu gostaria que fossem feitos mais investimentos e fosse dada mais atenção para energias limpas e renováveis, a exemplo do que é o etanol de cana-de-açúcar hoje”, avalia Farina.

Elizabeth lembra que “o Brasil tem a mais bem sucedida iniciativa do mundo para a substituição em larga escala de combustíveis fósseis por uma fonte limpa e renovável”. “Hoje temos 20 milhões de veículos flex, que podem rodar com qualquer combinação de etanol ou gasolina”, diz.

Para a estudiosa, é no momento da escolha do combustível “que cada um de nós pode fazer a opção por um meio ambiente mais limpo, com menos poluição e mais saudável, escolhendo o etanol”.

A presidente da Unica informa ainda que o etanol pode produzir energia elétrica, substituindo fontes altamente poluentes como carvão e diesel. Farina relata que a agroindústria da cana de açúcar fornece “quase 900 mil empregos”, e que tem sido feita uma redução drástica da colheita manual, que usa queimadas – substituindo-a pela mecanização.

“Ao mesmo tempo, um programa ímpar de requalificação de mão de obra foi liderado por essa indústria transformando milhares de cortadores de cana em operadores de máquinas sofisticadas”, garante.