0:00
0:00

“Enquanto o Brasil não investir todas as suas forças na educação, não haverá solução”

  • Por Jovem Pan
  • 17/02/2014 18h02
Rafael Andrade/FolhapressRafael Andrade/FolhapressBoni faz depoimento para a campanha Brasil Melhor
RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 24-11-2011: O ex-diretor da rede Globo de TV Boni, que esta lancando uma biografia sobre o seu trabalho, posa pra fotos em seu escritorio no bairro do Leblon, zona sul do Rio, em 24 de novembro de 2011. (Foto: Rafael Andrade/Folhapress, ILUSTRADA) ***ESPECIAL***

José Bonifácio Oliveira Sobrinho, ou simplesmente Boni, tem 78 anos, foi diretor-geral da TV Globo, e é publicitário e empresário. Começou trabalhando na Rádio Nacional e na Rádio Tupi. Depois, presenciou o início da televisão no Brasil, com a TV Tupi. Lá foi redator, produtor e diretor do programa “Grêmio Juvenil Tupi”. Passou também pela TV Paulista, pela Rádio Bandeirantes e por agências de publicidade como Lintas Propaganda e J. W. Thompson, na Inglaterra, onde fez treinamento. Na TV Globo, foi superintendente de Produção e Programação da Rede Globo e era responsável por todas as áreas da emissora.

O que fazer por um Brasil Melhor?

Boni considera que há dois tipos de problemas no País: os setoriais e um sistêmico. Os setoriais podem ser resolvidos com reformas, das quais o “Brasil precisa urgentemente”, como a política e tributária.

Mais importante, porém, é o problema sistêmico, no qual o Brasil tem que “investir, mergulhar de cabeça e trabalhar”: a educação. “Enquanto o Brasil não acreditar na educação e não investir todas as suas forças na educação, não haverá solução para o País”, conclui Boni, por um Brasil Melhor.