0:00
0:00

“Eu acho que tem coisas que dependem essencialmente do empresário e do executivo”

  • Por Jovem Pan
  • 06/05/2014 16h56
FolhapressFolhapressRômulo de Mello Dias participou da campanha Brasil Melhor
SÃO PAULO, SP - 30.08.2010: Rômulo de Mello Dias, presidente da Cielo, durante evento "Valor 1000", que premiou as melhores empresas de 25 setores da economia, em cerimônia que contou com a presença do ministro da Fazenda, Guido Mantega, em São Paulo (SP). (Foto: Ana Paula Paiva/Valor/Folhapress, 1662)

Rômulo de Mello Dias, diretor presidente CEO da Cielo, empresa líder em soluções transacionais e serviços de rede. Formado em economia pela Universidade Federal Fluminense, com MBA, ele foi diretor de empresas como Bradesco, Citibank, entre outras.

O que fazer por um Brasil Melhor?

“Eu acho que tem coisas que dependem essencialmente do empresário e do executivo”, disse o presidente da Cielo. Apesar disso, Rômulo não tirou as responsabilidades governamentais, como infraestrutura, o lado fiscal e lado monetário, mas reforçou que muitas coisas dependem dessa classe.

“Tem muita coisa que depende da gente. Se a gente for esperar para ver o que terceiros podem fazer por nós, inclusive o governo, a gente vai ficar parado. E repito: cabe a nós, enquanto executivos e empresários, tomar decisão. Nem sendo tolinho, otimista, sem analisar a realidade efetiva, mas também não sendo aquele cara que está totalmente pessimista por conta do mau humor reinante no mercado brasileiro”, disse o executivo.

Na opinião de Rômulo, o que falta um pouco para o Brasil é empreendedorismo. Confira o depoimento completo do presidente da Cielo para a campanha Brasil Melhor no áudio acima.