0:00
0:00

Conselho da Segurança da ONU pode votar nesta segunda-feira resolução contra Coreia do Norte

  • Por Estadão Conteúdo
  • 11/09/2017 11h03
Agência EFEAs sanções propostas devem atingir as importações de petróleo da Coreia do Norte, que são, na maioria, da China e também da Rússia

A Coreia do Norte ameaçou causar “a maior dor e sofrimento” sobre os Estados Unidos, caso o Conselho de Segurança das Nações Unidas imponha novas sanções contra o país após o lançamento de seu último teste de míssil, na semana passada. O Órgão máximo da ONU pode votar uma resolução contra o país ainda hoje, segundo diplomatas.

“Caso os EUA eventualmente consigam aprovar uma “resolução” ilegal e injusta, impondo sanções mais duras, a Coreia do Norte garantirá que os norte-americanos paguem o preço”, informou o ministério de Relações Exteriores do regime de Pyongyang nesta segunda-feira.

O alerta do governo de Kim Jong Un ocorre no momento em que diplomatas discutem os detalhes de um projeto de resolução encabeçado pelos EUA contra a Coreia do Norte. Estima-se que a resolução deva ser votada ainda hoje no Conselho de Segurança da ONU. As sanções propostas devem atingir as importações de petróleo da Coreia do Norte, que são, na maioria, da China e também da Rússia.

Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira, a ministra de Relações Exteriores da Coreia do Sul, Kang Kyung-wha, reafirmou que a questão do petróleo deve ser parte de qualquer resolução da ONU em resposta ao sexto e mais poderoso teste nuclear da Coreia do Norte, na semana passada.