O Estado Islâmico assumiu a autoria dos disparos realizados na avenida Champs Élysées, em Paris, na França. De acordo com a agência de notícias Amaq, que é ligada ao grupo terrorista, identificou o autor do ataque como "um de seus soldados", o belga Abu Yousif.

O atentado deixou um policial e o autor do disparo mortos, além de outros dois policiais gravemente feridos, de acordo com a imprensa local.

Uma porta-voz policial, Johanna Primevert, disse que um homem atacou os policiais que faziam guarda perto da estação de metrô Franklin Roosevelt, na noite desta quinta-feira, no centro da avenida popular entre os turistas. O Ministério do Interior informou que um carro estacionado na avenida também foi alvo dos disparos do atirador.

O tráfego na avenida foi fechado ao público, e um grande contingente policial está no local. De acordo a rede de televisão "BFMTV", o tiroteio aconteceu perto da loja Mark and Spencer, por volta das 21h (16h de Brasília). De acordo com o Twitter do Ministério do Interior, estações de metrô próximas ao local estão fechadas e que está acionado o "dispositivo de segurança máxima". A rede social do órgão ainda pede para que não se divulgue informações erradas e para compartilhar apenas notícias de fontes confiáveis.

A França terá o primeiro turno das eleições presidenciais neste domingo (23) e uma das candidatas, Marie Le Pean, da extrema direita, promete medidas duras contra o terrorismo, caso seja eleita. Uma emissora de televisão francesa que realizava um evento com os 11 candidatos interrompeu brevemente a transmissão para informar sobre o incidente.