Ex-líder independentista defende nova votação por Brexit

  • Por Jovem Pan
  • 11/01/2018 09h22
Reprodução/Channel 5 TwitterFarage defendeu durante anos o Brexit e agora pede nova votação para confirmar decisão

O ex-líder do UKIP (Partido de Independência do Reino Unido) Nigel Farage defendeu nesta quinta-feira (11) a possibilidade de o Reino Unido realizar novo referendo sobre a saída do país da União Europeia (Brexit), definida em junho do ano passado e já em andamento.

Farage cogitou a medida em entrevista ao “Canal 5” e confirmou a fala em publicação no Twitter nesta manhã:

“O que é certo é que os (Nick) Cleggs, os Blairs, os (Lord) Adonises (grupos políticos anti-Brexit) nunca, nunca, nunca vão desistir”, disse. “Eles vão continuar choramingando durante todo o processo”.

“Então, talvez nós devêssemos ter um segundo referendo sobre a filiação à União Europeia. Isso mataria de vez a questão por uma geração de uma vez por todas”, escreveu Farage.

O político liderou no ano passado a campanha pró-Brexit e teve fundamental importância na decisão britânica de deixar o o bloco europeu, por 52% a 48% em 2016. Farage chegou a dizer na época que o dia “23 de junho (data da confirmação do Brexit) é o nosso dia da independência”. Ele é um dos fundadores do UKIP, em 1993, após ter deixado o Partido Conservador justamente por sua posição antieuropeia.

Nesta quinta, no entanto, Farage citou a oposição parlamentar ao Brexit e disse que tem mudado de ideia em relação a uma segunda votação. Neste eventual segundo referendo, a porcentagem de britânicos que votaria a favor da desfiliação seria “muito maior” na visão do ex-lider do UKIP.

O colega de partido de Farage, Patrick O’Flynn respondeu no próprio Twitter que o ex-líder da sigla “vai conseguir várias manchetes para si” com sua “surpreendente chamada por um segundo referendo sobre o Brexit”. Mas criticou a postura do colega: “Mas ele está errado assim como (Vince) Cable, (Tony) Blair, etc. Nós tivemos uma votação única nessa geração e a obrigação do governo agora é implementar a decisão”, defendeu.

O atual líder do UKIP, Henry Bolton, ainda não se havia se pronunciado publicamente sobre a fala de Farage, mas sua mais recente postagem nas redes sociais, há 23 horas, defende o Brexit, e “terminar a revolução”.

A primeira-ministra conservadora Theresa May constantemente tem deixado claro que não haverá outra votação sobre o assunto.