0:00
0:00

Irã diz que mudar acordo nuclear seria “um insulto” dos EUA ao país e à ONU

  • Por Estadão Conteúdo
  • 13/10/2017 09h59
Wikimedia Commonsmundo, Ali Larijani, irã, euaAli Larijani disse que o Irã poderá tomar suas próprias ações, sem especificá-las, caso EUA recuem

O presidente do Parlamento do Irã, Ali Larijani, rechaçou qualquer possibilidade de que os Estados Unidos possam recuar do acordo nuclear internacional com Teerã. Segundo ele, a mudança de posição seria um insulto ao Irã e à Organização das Nações Unidas.

Larijani falou em visita à Rússia, horas antes do discurso previsto do presidente dos EUA, Donald Trump. Espera-se que Trump faça duras críticas ao acordo de 2015 e o republicano já ameaçou recuar da iniciativa.

O acordo concedeu ao Irã um alívio nas sanções econômicas, em troca de limites rígidos para seu programa nuclear. A iniciativa foi longamente negociada pelo governo do então presidente Barack Obama e também envolveu uma coalizão de potências: Reino Unido, França, Alemanha, Rússia e China.

Larijani lembrou que o acordo recebeu o aval das Nações Unidas, por isso recuar dele seria “um insulto à ONU”. Ele acrescentou que, com qualquer revisão, o Irã poderá tomar suas próprias ações, sem especificá-las.