Israel comemora a saída dos Estados Unidos da Unesco

  • Por EFE
  • 12/10/2017 14h38

EFE/Olivier Hoslet

"A decisão de hoje é um ponto de inflexão para a Unesco. As absurdas e vergonhosas resoluções da organização contra Israel têm consequências", declarou em comunicado o embaixador israelense para a ONU, Danny Danon

O governo israelense comemorou nesta quinta-feira a saída dos Estados Unidos da Unesco e afirmou que a decisão mostra que “a discriminação contra Israel” tem um preço.

“A decisão de hoje é um ponto de inflexão para a Unesco. As absurdas e vergonhosas resoluções da organização contra Israel têm consequências”, declarou em comunicado o embaixador israelense para a ONU, Danny Danon.

Os EUA anunciaram que sairão da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e apontaram como motivos a necessidade de uma reforma na entidade e uma suposta “tendência anti-Israel”.

Segundo as autoridades israelenses, a Unesco se transformou “em um campo de batalha” contra o país e “ignora seu verdadeiro papel e propósito”.

Durante os últimos anos, a organização aprovou várias resoluções muito criticadas por Israel, como textos que omitem a vinculação judia à denominada Esplanada das Mesquitas de Jerusalém.

Desde a chegada de Donald Trump à Casa Branca, os EUA se alinharam claramente com Israel nas Nações Unidas, denunciando repetidamente a suposta parcialidade contra o país aliado dentro da organização.

“Os Estados Unidos respaldam Israel e são um verdadeiro líder para a mudança na ONU. A aliança entre os nossos dois países está mais forte que nunca”, declarou Danon nesta quinta-feira.