0:00
0:00

Trump faz minuto de silêncio por vítimas do 11/9 e lança alerta a terroristas

  • Por EFE
  • 11/09/2017 13h57
Andrew Harrer / POOL/EFETrump disse que o "horror" do dia 11 de setembro de 2001 estará "sempre" na memória de todos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez nesta segunda-feira uma alerta para os terroristas que tentam intimidar o país durante uma cerimônia no Pentágono em homenagem às vítimas dos ataques de 11 de setembro de 2001.

“Os EUA não podem ser ameaçados e aqueles que tentem se unirão a uma comprida lista de inimigos derrotados que se atreveram a colocar a toda prova nossa coragem”, disse Trump em um breve discurso na cerimônia solene no Pentágono, sede do Departamento de Defesa.

“Quando o país está unido, nenhuma força na Terra pode nos destruir”, afirmou o presidente republicano.

Trump disse que o “horror” do dia 11 de setembro de 2001 estará “sempre” na memória de todos, fazendo referência aos “homens, mulheres e crianças inocentes que foram assassinados pelos terroristas”.

“Hoje uma nação inteira está com vocês”, afirmou o presidente aos familiares dos 3 mil mortos nos ataques.

Acompanhado pela primeira-dama, Melania Trump, e a cúpula militar americana, o presidente fez uma oferenda floral no monumento de homenagem às vítimas construído no Pentágono.

Além disso, Trump quis mandar uma mensagem de apoio a todos os afetados pelo furacão Irma, que agora se enfraqueceu e se tornou uma tempestade tropical, enquanto avança rumo pelo norte do estado da Flórida, e também pelo furacão Harvey, que atingiu recentemente o Texas e a Louisiana.

Antes de visitar o Pentágono, Trump e a esposa lideraram um minuto de silêncio nos jardins da ala sul da Casa Branca em lembrança das vítimas do 11 de setembro de 2001.

A homenagem ocorreu, como em anos anteriores, às 8h46 locais (9h46 em Brasília), o momento exato que o primeiro avião colidiu com uma das Torres Gêmeas do World Trade Center de Nova York.