0:00
0:00

“Ainda não tenho musculatura política” para governo, diz Maia

  • Por Vera Magalhães
  • 26/10/2017 09h38
Imagem: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDOO presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante sessão que barrou a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã da Jovem Pan nesta quinta-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), descartou uma candidatura ao governo do Rio. “Não tenho musculatura política ainda para uma candidatura ao governo”,afirmou, ao responder à comentarista de política Vera Magalhães.

Maia afirmou que tem mais condições de ajudar o Estado e o município do Rio em Brasília, num novo mandato para a Câmara.

Na avaliação de Maia, o grupo político do qual faz parte, composto por PMDB e DEM, tem dois pré-candidatos em condições de disputar o governo: seu pai, o ex-prefeito e hoje vereador Cesar Maia, e o ex-prefeito Eduardo Paes.

Ele não negou que tenha o sonho de um dia ocupar um cargo no Executivo, mas admitiu que os dois políticos que mencionou estão mais bem preparados que ele hoje para a função.

Em relação à votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, Maia afirmou que a lição que o governo tem de tirar é de que precisará “reorganizar” sua base de apoio no Congresso para avançar com a agenda de propostas até o fim do mandato.

Ele rechaçou a ideia de punir deputados infiéis, ao afirmar que um governo que teve uma votação numericamente inferior à anterior não pode reagir afastando mais os deputados.

Maia admitiu o “protagonismo” que teve na votação das duas denúncias, mas afirmou que ele não é um protagonismo “contra” o presidente, ou em disputa com ele.

Defendeu a possibilidade de que a Câmara vote algumas medidas da reforma da Previdência, ainda que sejam aquelas que não dependem de quorum constitucional (308 votos) e enumerou projetos que serão importantes nos próximos dias.

Ele se reúne hoje com os ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Dyogo Oliveira (Planejamento) para definir essa agenda, que tem projetos ainda para ajudar o cumprimento da meta fiscal.