Filhos de imigrantes poloneses aos 30 anos, Abram Szajman já tinha investia no setor imobiliário e também no turístico. Atualmente comanda a Federação de comércio, de bens e turismo no Estado de São Paulo, que mantém 155 sindicatos patronais cooligados e administra o Senai e o Sesc. Todas essas empresas geram 5 milhões de empregos e movimenta 4% do PIB brasileiro.

Szajman concedeu o seu depoimento ao "O Brasil que Queremos" e falou da necessidade de ter um país mais justo e menos burocrático. "Queremos um Brasil com um Estado menor, que exerça as soluções fundamentais e deixe para a iniciativa privada os problemas com um país menos pesado e menos burocratizado, deixando para a iniciativa privada investimentos necessários para a infraestrutura", disse o presidente da Fecomércio.