Bolsonaro diz que vai manter silêncio sobre assassinato de Marielle

  • Por Estadão Conteúdo
  • 20/03/2018 19h56
Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência BrasilPré-candidato à Presidência pelo PSL, deputado Jair Bolsonaro diz que foi a único presidenciável a ir nos enterros de PMs mortos em 2017, mas está apanhando por não falar sobre o caso Marielle

Pré-candidato à Presidência da República, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) afirmou nesta terça-feira, 20, que vai manter o silêncio sobre a morte da vereadora do Rio Marielle Franco (PSOL) e do motorista dela, Anderson Gomes, mortos a tiros na noite da última quarta-feira, 14, na capital fluminense.

“Vou continuar silente”, afirmou Bolsonaro em entrevista no plenário da Câmara. “No ano passado teve enterro de uns 20 PMs (policiais militares), nenhum dos presidenciáveis foi e só eu estou apanhando agora por não falar sobre a morte dela”, acrescentou o parlamentar.

Reclamação

Nesta terça-feira, deputados federais do PT entraram no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) com reclamação disciplinar contra a desembargadora Marília Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio, acusando-a de “espalhar” na internet “mentiras” contra Marielle.

Na reclamação, argumentaram que “não há como dissociar a conduta” como cidadã da de magistrada. “Há deveres de comportamento mais relacionados ao exercício da jurisdição e outros à própria conduta enquanto cidadã. Um é complemento do outro e os Códigos de conduta punem ambos”.