0:00
0:00

Funaro: Temer dividiu propina da Odebrecht com Geddel

  • Por Jovem Pan
  • 13/09/2017 14h20
Marcos Corrêa/Vice Presidência da RepúblicaPlanalto tenta afastar imagem do ex-ministro de Temer

Lúcio Funaro disse em delação premiada que o presidente Michel Temer dividiu propina da Odebrecht com o ex-ministro preso Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), informa o blog do Fausto Macedo.

Funaro afirma que buscou R$ 1 milhão no escritório do advogado, ex-deputado e amigo de Temer, José Yunes. Funaro teria, então, enviado a quantia para Geddel na Bahia.

O ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Cláudio Mello Filho já disse em delação que negociou com Temer e seus aliados doação em caixa dois de R$ 10 milhões para campanhas de 2014.

Parte do dinheiro seria distribuída por Yunes, que já confirmou à Procuradoria-Geral ter sido usado como “mula” do ministro da Casa Civil José Padilha na entrega de um pacote.

Geddel “informou que o dinheiro que iria retirar com José Yunes era referente a uma doação via caixa 2 da Odebrecht, acertada juntamente (com) Eliseu Padilha e Michel Temer”, diz trecho do anexo intitulado “Intermediação de Pagamentos de Propinas para Interpostos do Presidente”, obtido pelo jornal O Estado de S. Paulo. “Estes valores eram de Michel Temer, o qual estava enviando uma parte do dinheiro arrecadado para Geddel”.

Foi Geddel, segundo Funaro, quem lhe passou o telefone de Yunes.

Político próximo a Temer, Geddel está preso desde semana passada desde que a Polícia Federal encontrou R$ 51 milhões em espécie, maior apreensão da história da PF, em apartamento que seria ligado ao ex-ministro.

Documentos de Funaro mostram pagamento de R$ 1,5 milhão de propina a Temer, diz blog