0:00
0:00

Marqueteiro de Temer diz ter sido gravado por Joesley: “esperava me cooptar”

  • Por Jovem Pan
  • 13/09/2017 09h14
Montagem/EFE e DivulgaçãoJoesley queria novo intermediário com o presidente para substituir Geddel, diz Elsinho

Depois do ministro do STF Gilmar Mendes confessar ter conversado com Joesley Batista e acreditar ter sido gravado pelo dono da JBS e delator, foi a vez do marqueteiro do presidente Michel Temer, Elsinho Mouco relatar encontro com o empresário no final de fevereiro, poucos dias antes de Joesley gravar o próprio Temer em encontro noturno e não registrado no Palácio do Jaburu (em 7 de março).

“Agora sei que ele (Joesley) já estava em acerto, em treinamento de ‘delação’, com o procurador Marcelo Miller desde a segunda quinzena de fevereiro. Ele claramente estava orientado e apavorado atrás de cúmplices. Ou seja, ele seguramente gravou a conversa esperando me cooptar. Queria me comprometer e comprometer o presidente. Como não aceitei, essa fita até agora não apareceu”, declarou Elsinho ao blog de Andréia Sadi.

O assessor do presidente disse que Joesley buscava um substituto de Geddel Vieira Lima para fazer a interlocução com Temer e teria oferecido “vantagens” a Elsinho se ele assumisse o papel.

O marqueteiro diz que recusou o posto e sugeriu: “Você não precisa de ninguém pra falar com ele. O maior produtor de proteína animal do mundo e o presidente da República não precisam de intermediários. Liga direto, é melhor”.

O blog recorda também que a empresa de comunicação de Mouco foi citada por delatores da JBS como emissária de notas fiscais frias que seriam usadas para justificar a entrega de R$ 1 milhão a Michel Temer.