0:00
0:00

PF desbarata organização criminosa que movimentou R$ 380 milhões em contratos falsos com o governo no Ceará

  • Por Jovem Pan
  • 13/09/2017 13h39
Arquivo/Marcelo Camargo/ABrParticiparam da operação 148 policiais federais

A Polícia Federal, em conjunto com a Controladoria Geral da União, deflagrou nesta quarta-feira (13) a Operação Fraternidade, com o objetivo de desarticular organização criminosa especializada em fraudes em licitação e no desvio de verbas públicas em cidades do Ceará.

Na investigação, originada a partir levantamento feito pela Controladoria Geral da União, foi possível detectar que os principais investigados já tiveram vínculos com dezenas de pessoas jurídicas, das quais 68 teriam recebido verbas públicas de 171 municípios cearenses, totalizando, somente entre janeiro de 2002 e março de 2013, recursos na ordem de mais de R$ 380 milhões, inclusive recursos federais de diversas fontes, sem que fosse detectada a interrupção das atividades do grupo desde então.

Segundo a PF, o grupo utilizava empresas por ele controladas em conjunto e em forma de rodízio para vencerem licitações e receberem “vultosos valores advindos do poder público” sem chamar a atenção das autoridades. Os contratos eram superfaturados e os serviços não eram realizados.

O nome da operação faz alusão ao núcleo do grupo, formado, entre outros, por três irmãos com vinculação com diversas empresas. Os envolvidos responderão criminalmente, na medida de suas condutas, pelo cometimento dos crimes de organização criminosa, crimes da lei de licitações, falsificação de documentos, corrupção e lavagem de dinheiro.

Os 45 mandados judiciais foram expedidos pela 11ª Vara Federal de Fortaleza/CE, sendo 9 prisões temporárias, 24 buscas e apreensões, 12 de conduções coercitivas, além de 7 mandados de intimação, emitidos pela autoridade policial, totalizando 52 mandados. Participaram da operação 148 policiais federais, nos Estados do Ceará e Piauí, além de 7 servidores da Controladoria-Geral da União.