0:00
0:00

PSDB pode sair do governo Temer a qualquer momento, diz Alckmin

  • Por Tiago Muniz/Jovem Pan
  • 19/06/2017 12h19 - Atualizado em 29/06/2017 00h45
Reprodução/TV NBRReprodução/TV NBRMichel Temer e Geraldo Alckmin se reúnem no Palácio dos Bandeirantes

Geraldo Alckmin afirmou que o PSDB pode deixar o governo Temer a qualquer momento e disse que o partido não deveria ter nem indicado ministros. O governador de São Paulo deu a declaração nesta segunda-feira (19) durante vistoria às obras da estação Engenheiro Goulart da CPTM na Zona Leste de São Paulo.

Ele repetiu o mantra da necessidade de aprovação das reformas no Congresso independentemente da permanência ou não da sigla na base aliada.

Geraldo Alckmin disse que sempre foi contra a nomeação de tucanos para o ministério de Michel Temer.

“Nós podemos sair a qualquer momento. Sair é deixar de ter ministério. Aliás, eu acho isso absolutamente secundário. Tanto é que quando houve o impeachment, eu era contra que o PSDB ocupasse ministérios. Sempre fui contra. Mas a maioria decidiu, então (o PSDB) participa com alguns ministros”, afirmou.

O governador de São Paulo falou ainda que o partido tinha três posições sobre a questão da permanência na base governista.

“Você tem a posição daqueles que queriam sair, imediatamente. Você tem a posição daqueles que tratam como um casamento, até que a morte os separe. E você tem a nossa posição, de aguardar um pouco mais, acabar as reformas, coisa de 30, 60 dias”, disse.

Aécio

O governador de São Paulo preferiu não dizer qual a opinião sobre o que o partido deveria fazer caso Aécio Neves tenha a prisão decretada pelo STF.

A primeira turma do Supremo Tribunal Federal deve analisar nesta semana um pedido de prisão protocolado pelo procurador geral da República contra o senador mineiro.

Rodrigo Janot avalia que Aecio continuou exercendo funções políticas mesmo afastado do cargo.

Geraldo Alckmin disse que não se manifesta falando de hipóteses e prefere aguardar o desfecho do julgamento.