0:00
0:00

Secretário: Não vamos construir e nem retirar ciclovias de forma autoritária

  • Por Jovem Pan
  • 20/04/2017 12h37
Rafael Neddermeyer/Fotos PúblicasRafael Neddermeyer/Fotos Públicasbike
19-09-2015 - São Paulo - De bicicleta pela zona oeste de São Paulo. Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

O governo de João Doria (PSDB) irá realizar mudanças em ciclovias da cidade para a implantação de ciclorrotas, remanejamentos e manutenção.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o secretário de Transportes da cidade, Sérgio Avelleda, afirmou que não serão todas as ciclovias que se tornarão ciclorrotas e que tudo será discutido com a sociedade. “Essa administração não vai nem construir e nem retirar ciclovias de forma autoritária”, garantiu.

A intenção da Prefeitura é trocar parte de ciclovias existentes por ciclorrotas, que são caminhos sem a “segregação” entre bicicletas e automóveis.

“Não é um favor [aos ciclistas]. É um direito legal. O Código Brasileiro de Trânsito dá o direito às bicicletas para utilizar as vias urbanas. Se ela tem o direito de transitar, esse direito precisa ser respeitado”, afirmou o secretário.

Segundo Avelleda, a administração do ex-prefeito Fernando Haddad construiu quilômetros de ciclovia “muitos deles bons” e outras em vias muito calmas que não precisam da segregação. Desta forma, nestes locais as ciclovias poderão ser trocadas por ciclorrotas.

“Mas não é só pintar uma bicicletinha no chão. É sinalizar para que o motorista saiba que ali a bicicleta tem preferência e garantir que a velocidade dos carros permaneça calma. A ideia é que a cidade entenda que a bicicleta veio para ficar. Apoiamos a bicicleta, é algo saudável, ecologicamente correto e o carro tem que respeitar”, disse.

O secretário de Transportes afirmou ainda que não devemos tratar as questões sobre mobilidade urbana como verdades absolutas: “há situações que não precisam de ciclovia. Dizer que a bicicleta só pode andar em ciclovia aumenta o preconceito e a segregação. Trânsito a gente constrói com harmonia”.