O consultor em comportamento animal Alexandre Rossi, no boletim Pet na Pan, fala sobre pets que costumam fugir.

Basta apenas uma brechinha no portão ou um descuido na hora de entrar ou sair, que pronto! O pet pode ter sido atraído por um barulho diferente e resolveu investigar ou pode ter avistado outro animal e decidiu persegui-lo.

Os motivos das fugas podem ser diversos. Além de ser um momento estressante para o dono, a fuga de cães representa um grande perigo. As chances de acidentes e atropelamentos, infelizmente, existem.

E agora, o que podemos fazer pra diminuir esses riscos?

Antes de qualquer coisa, a identificação dos cães é muito importante para garantir a segurança deles. Coloque uma plaquinha na coleira dele com seu nome e o telefone.

Você pode ensinar o seu cão a não sair pelo portão sem a sua autorização. Pode parecer difícil, mas persistindo nas dicas que vou dar agora, você conseguirá:

1. Comece o aprendizado usando a guia. Aproxime-se do portão, brinque com o cão e vá para a rua. Ele naturalmente te seguirá, então, com a guia, impeça-o de sair e diga “Não!”.

2. Repita esse exercício algumas vezes, até que o cão tenha compreendido o que se espera dele e se recuse a ir para a rua. Quando isso acontecer, não se esqueça de elogiá-lo e recompensá-lo com algo que ele goste bastante!

3. Jogue um brinquedo que ele goste na calçada e aguarde pela reação dele. Mantenha-o, claro, preso à guia! Caso ele tente buscá-lo, frustre a tentativa. Repita o exercício várias vezes e o recompense sempre que ele se manter firme e não sair.

4. Não permita que o cão saia para a rua para depois corrigi-lo.