Em meio à pressão, Cármen Lúcia decreta: “eu sou uma resistente”

  • Por Jovem Pan
  • 23/03/2018 10h50
Antonio Cruz/Agência BrasilCármen Lúcia fez o possível para impedir a mudança do entendimento do supremo sobre a 2ª instância

Eu conversei por mais de meia hora com a presidente do Supremo Tribunal Federal, a ministra Cármen Lúcia, minutos depois de encerrar a sessão desta quinta-feira.

Abri nossa conversa perguntando se ela achava que tinha atendido o apelo de milhões de brasileiros nas redes sociais. O apelo tem três palavras: Resista, Carmén Lúcia. “Eu sou uma resistente”, respondeu a ministra.

De fato, ela fez o possível para impedir a mudança do entendimento do supremo, segundo o qual a execução da pena pode começar depois da condenação em segunda instância.