0:00
0:00

Para Pruitt, proteger é desproteger o meio ambiente

  • Por Caio Blinder/Jovem Pan
  • 13/09/2017 10h40
Reprodução/YoutubeO diretor da Agência de Proteção do Meio Ambiente, Scott Pruitt, é um negador das mudanças climáticas

Na novilíngua de George Orwell no clássico 1984, guerra é paz, liberdade é escravidão e ignorância é força. A última distorção é consistente com o governo Trump. Seu diretor da Agência de Proteção do Meio Ambiente, Scott Pruitt, é um negador das mudanças climáticas. Sua missão é desproteger.

Em meio à passagem do furacão Irma na Flórida, Scott Pruitt disse ser insensato e insensível discutir mudanças climáticas em meio a tempestades mortais. Tomas Regalado, o prefeito republicano de Miami, cujos moradores precisaram fugir de Irma, teve uma resposta furacão ao protetor federal do meio ambiente, afirmando: se a gente não discute agora mudanças climáticas, então quando?

Regalado deu uma entrevista ao jornal Miami Herald, argumentando com precisão e conhecimento de causa que “este justamente é o momento para se falar sobre mudanças climáticas. Este é o momento para o presidente, a Agência de Proteção do Meio Ambiente e qualquer um que tome decisões falar sobre mudanças climáticas”. Vendo a paisagem em Miami, o prefeito observou: “Se isto não é mudança climática, eu não sei o que é”.

O prefeito tem toda a razão quando afirma que Irma foi a “garota propaganda” do que vem pela frente. Obviamente, furacões são uma força da natureza, sempre acontecem, mas faz todo o sentido relacioná-los com mudanças climáticas ou aquecimento global.

Negar o vínculo hoje em dia entre o aquecimento da temperatura global e a virulência de furacões é o equivalente a pedir que geólogos não debatam geologia depois de um terremoto.

No entanto, a Washington de Donald Trump acha que existe uma espécie de igreja do aquecimento global e que o fenômeno de mudança climática é mais religião do que ciência. Isto é novilíngua. Negar ciência se converteu na religião do trumpismo e de alguns setores conservadores.

Eu já disse aqui na Flórida tão vulnerável a furacões e a mudanças climáticas, seu governador Rick Scott trata com descaso a conexão. Donald Ignoramus Trump chegou a dizer que mudança climática é uma farsa arquitetada pelos chineses.

Scott Pruitt, o desprotetor federal do meio ambiente, declarou que emissões de dióxido de carbono de carros e fábricas não são contribuintes primários para o aquecimento global. No site da Agência de Proteção do Meio Ambiente foram removidas menções a mudanças climáticas e desregulamentações na área de poluição ambiental estão a todo vapor.

Um sábio disse: “Se o pensamento corrompe a linguagem, a linguagem também pode corromper o pensamento.”. Seu nome era George Orwell.