0:00
0:00

Democracia sem esperança na Venezuela

  • Por Jovem Pan
  • 05/07/2017 09h34
EFE/Miguel GutiérrezEFE/Miguel GutiérrezManifestante de oposição a Maduro enfrenta polícia na capital Caracas

Sei que a situação no Brasil não está fácil. Nada, porém, se compara ao que ocorre na Venezuela. E aqui cabe lembrar que o que acontece lá teve e tem apoio daqueles que são os maiores responsáveis pela desgraça brasileira: os petistas.

Ontem, terça-feira, 27 estudantes foram presos sob a ordem de um tribunal militar. Eles se manifestavam contra a ditadura que destrói aquele país. Há, hoje, quase 500 presos políticos na Venezuela. É um cenário de exceção plena, em que a ruptura institucional não deixou fibra para recomposição. Não é possível analisar o que se passa na Venezuela senão como guerra civil. São os venezuelanos, entre si, os que se enfrentam: de um lado, milicianos armados pelo governo de Nicolas Maduro; de outro, manifestantes, a maioria jovem, em luta pela liberdade.

Não há esperança, contudo, de que a democracia vença. As forças armadas, cedo ou tarde, tomarão as ruas. E o mais provável é que um golpe militar – a favor de Maduro – piore ainda mais a vida naquele país.