Gracejo falacioso de cartilha político-eleitoral do PSDB deve ser confrontado

  • Por Jovem Pan
  • 29/11/2017 10h36

Jefferson Rudy/Agência Senado

Segundo a cartilha político-eleitoral do PSDB divulgada nesta terça-feira (28), o Estado não deve ser máximo e nem mínimo

Segundo a cartilha político-eleitoral do PSDB divulgada nesta terça-feira (28), o Estado não deve ser máximo e nem mínimo. Para além do “em cima do murismo” evidente, a sentença sugere ainda que a discussão sobre Estado mínimo existe no Brasil, e ela não existe, não para valer. O Estado neste País é mais que máximo, então quando partido sai com um gracejo falacioso como esse, precisa ser confrontado com o fato de que estamos muito longe de um modelo enxuto e nem sequer intermediário, o que transforma a sentença tucana em defesa do Estado monumental conforme o conhecemos hoje.

Confira o comentário completo de Carlos Andreazza: