Novo diretor-geral da PF é apadrinhado, mas e daí?

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2017 10h46
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoNa República, a nomeação para o comando da PF é política, porque é feita por políticos, mas em nada compromete a autonomia gigantesca da instituição

A Polícia Federal terá um novo diretor-geral. Dizem que é apadrinhado por José Sarney e não sei quem mais. E daí? Leandro Daiello, que sai, também fora apadrinhado por alguém. Nada disso comprometeria seu trabalho. Na República, a nomeação para o comando da PF é política, porque é feita por políticos, mas em nada compromete a autonomia gigantesca da instituição.

Confira o comentário completo de Carlos Andreazza