Como já era esperado, o PIB de 2016 mostrou um retrato muito negativo da economia brasileira. O tombo foi de 3,6%. Desde o começo dos anos 1930 a economia brasileira não registrava dois anos consecutivos de uma recessão tão pesada. E essa retração histórica acabou se alastrando pelos vários ramos de atividade, como indústria, serviços e até a agropecuária, que só começou a se recuperar no final do ano.

O consumo das famílias foi também um forte fator para a queda da economia.

Agora é esperar que em 2017 a economia comece a tomar impulso. As projeções são positivas. Mas ainda há o gravíssimo problema do desemprego, que continua aumentando e atinge 13 milhões de brasileiros.

Assista ao comentário completo de Denise Campos de Toledo, que avalia o impacto da agenda do governo sobre a confiança do mercado: