A Venezuela tem, sim, fome de Justiça

  • Por Felipe Moura Brasil/Jovem Pan
  • 30/01/2018 07h15
ReproduçãoNicolás Maduro fez uma transmissão ao vivo no Facebook, de 12 minutos, na noite de sábado

Nicolás Maduro fez uma transmissão ao vivo no Facebook, de 12 minutos, na noite de sábado.

O ditador da Venezuela queria falar da sua campanha à “reeleição”, mas foi questionado sobre a crise econômica e o desabastecimento de alimentos.

Em certo momento, em meio às mensagens que chegavam, acabou lendo, sem querer, uma delas que dizia “A Venezuela tem fome!”

Para tentar amenizar a vergonha, emendou: “Tem fome de justiça, de igualdade, de anti-imperialismo”.

Ahora en directo por primera vez con ustedes en Facebook Live.

Publicado por Nicolás Maduro em Sábado, 27 de janeiro de 2018

 

Ver um ditador sendo “trollado” em transmissão ao vivo: não tem preço.

Na atual Venezuela desgovernada por Maduro, até crianças morrem de fome, como mostrou o New York Times; famílias se alimentam com comida de cachorro, como apontou o estudo da ONG de defesa dos direitos humanos chamada Provea; um quilo de açúcar custa um terço do salário mínimo e a inflação pode fechar 2018 em 400.000%.

Mesmo assim, Maduro continua atribuindo suas próprias culpas ao Império americano.

Adivinhe quem pediu votos a tamanho embusteiro?

Pois é. Lula apoiou o regime socialista de Maduro, erguido com propinas da Odebrecht, como revelou o casal de marqueteiros do próprio PT João Santana e Mônica Moura.

A Venezuela tem, sim, fome de Justiça. É a fome de que o ditador deixe o poder.