Notícia de ontem, hoje e amanhã: Huck candidato?

  • Por Felipe Moura Brasil/Jovem Pan
  • 09/02/2018 07h40
Reprodução/InstagramLuciano Huck, portanto, está prestes a decidir se concorre ou não à Presidência da República. Essa é a notícia de ontem, de hoje e, provavelmente, de amanhã

Luciano Huck prendeu os brasileiros no Dia da Marmota – aquele dia que se repete no filme Feitiço do Tempo, de 1993, protagonizado por Bill Murray.

O ator interpreta um repórter no festival de uma cidadezinha da Pensilvânia, onde um animal roedor teria o poder de prever a duração do inverno.

Assim como o repórter acorda todos os dias no mesmo dia, tendo de noticiar a mesma coisa, os jornalistas brasileiros têm noticiado diariamente o mesmo: Luciano Huck vai decidir se concorre ou não à Presidência da República.

O fim desse inverno é anunciado diariamente para breve, mas nunca chega.

Ontem, no entanto, FHC disse à Folha que o apresentador tem o estilo dos tucanos. “Sempre foi muito próximo ao PSDB, o estilo dele é peessedebista. É um bom cara.”

O ex-presidente acrescentou que nunca conversou com Huck sobre filiação ao partido. “Não sei se seria político. Não sei se vale a pena para ele.”

Depois FHC telefonou para Geraldo Alckmin, o pré-candidato tucano, para minimizar o desconforto causado por seu flerte com Huck.

Enquanto os assessores do governador xingam FHC e dizem não acreditar que o novato tenha a couraça grossa o suficiente para encarar a luta, Alckmin foi instruído a bancar o fino.

Ele terminou o dia dizendo a jornalistas, no Palácio dos Bandeirantes, que não se sente sabotado pelo ex-presidente:

“Luciano Huck é uma excelente liderança, jovem, amigo do presidente Fernando Henrique já há alguns anos e inclusive já me ajudou, fez campanha comigo na Zona Leste quando eu fui candidato a prefeito de São Paulo em 2000. Então, gestos de estímulo são muito positivos. Eu também estimulo as novas gerações, as novas lideranças que participem da vida pública. Se (Luciano Huck) vai ser candidato, cabe a ele definir. O presidente Fernando Henrique é um estadista. Aliás, devo a ele a escolha para ser presidente do PSDB. Não me sinto sabotado por ele (FHC). Estivemos juntos sábado retrasado. Ele fez questão de vir aqui tomar um café comigo.”

Auxiliares de Michel Temer dão a candidatura de Huck como certa, segundo o Painel da Folha, só há dúvidas sobre o partido escolhido.

No PPS, que negocia com o apresentador, aposta-se na filiação em 7 de abril. A Globo, que vem manifestando descontentamento em ser arrastada para o debate eleitoral, quer o fim do impasse e avisou que se Huck escolher a política, sua mulher, Angélica, também terá de sair do ar.

Luciano Huck, portanto, está prestes a decidir se concorre ou não à Presidência da República. Essa é a notícia de ontem, de hoje e, provavelmente, de amanhã.

Feliz Dia da Marmota.