Os petistas decidiram superar o próprio recorde de ridículo

  • Por Felipe Moura Brasil/Jovem Pan
  • 02/02/2018 08h33
Fernando Frazão/Agência BrasilO Instituto Lula divulgou na quinta-feira um suposto levantamento para apontar o petista como “o mais votado para presidente na história da humanidade”

O Instituto Lula divulgou na quinta-feira um suposto levantamento para apontar o petista como “o mais votado para presidente na história da humanidade”.

Sabe como chegaram ao número de 136,4 milhões de votos?

Somando os resultados do primeiro turno nas CINCO eleições de que Lula participou –inclusive as três que ele perdeu (1989, 1994 e 1998).

Assim, Lula está à frente, por exemplo, de Barack Obama, Vladimir Putin e Franklin Roosevelt.

Claro que a comparação não faz o menor sentido.

Obama só concorreu duas vezes à presidência, vencendo John McCain em 2008 e Mitt Romney em 2012.

Putin, que domina o cenário político russo há 17 anos como presidente ou primeiro-ministro, está no terceiro mandato e já anunciou que vai tentar o quarto, o que o habilitaria a governar até 2024.

Roosevelt foi eleito para quatro mandatos presidenciais a partir de 1932, sendo o presidente americano que ficou mais tempo no cargo.

Nenhum deles disputou cinco eleições presidenciais como Lula. Nenhum deles perdeu nem sequer uma disputa presidencial, muito menos três como Lula.

Computar votos das derrotas para superar na soma total quem só venceu é um desses malabarismos de marketing de que só os petistas são capazes.

Para agravar a imagem do ranking, ainda há no canto a seguinte mensagem de falsa generosidade: “sem contar com segundo turno, senão seriam 278 milhões 542 mil e 377 votos”.

É o cúmulo da cara de pau. Nos Estados Unidos, por exemplo, nem sequer existe segundo turno no processo eleitoral. Existem as primárias de cada partido e depois a disputa principal.

Mas vale tudo para o PT emplacar a narrativa de que Lula tem tantos eleitores que não pode ser impedido de disputar uma eleição, mesmo condenado pela Justiça por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Para a megalomania petista, o “nunca antes na história deste país” ficou pequeno. Agora é nunca antes na história da humanidade.

De fato, nunca antes na história da humanidade o marketing político foi tão ridículo.