0:00
0:00

Moeda da corrupção tem duas faces: a do corrupto e a do corruptor

  • Por Jovem Pan
  • 14/07/2017 08h56
EFE/João Quesada/CAMPO GRANDEJoesley é a figura que mostra que no Brasil o crime, muitas vezes, compensa

Joesley Batista, o açougueiro que assaltou os cofres públicos, está torrando o patrimônio. Ele está colocando em liquidação sua ilha em Angra dos Reis por R$ 30 milhões. Mas calma, não precisa ficar com dó. Ele vai vender a Ilha, vendeu as Alpargatas e está fazendo caixinha para pagar parte do que negociou no acordo de delação com a PGR.

Joesley está muito longe de ficar pobre. Lembre-se que ele é aquele que assaltou os cofres do BNDES com as chaves entregues pelo ex-presidente Lula.

O empresário pagará apenas R$ 110 milhões para a Justiça e ainda com a chance de viver em Nova Iorque, livre, leve e solto.

Joesley é a figura que mostra que no Brasil o crime, muitas vezes, compensa. Em tempos em que Lula é condenado e que Temer pode cair, em tempos do maior bandido da iniciativa privada de todos os séculos, não se esqueça, a moeda da corrupção tem duas faces, a do corrupto e a do corruptor.

Confira o comentário completo de Joice Hasselmann: