É muito frágil a decisão do Judiciário brasileiro

  • Por Jovem Pan
  • 02/02/2018 10h16
ReproduçãoÉ muito frágil a decisão do Judiciário brasileiro. O excesso de processos e falta de funcionários justifica

Volto a um tema debatido aqui. Nesta quinta-feira na abertura do ano Judiciário a ministra do STF Cármen Lúcia defendeu a Corte e a procuradora-geral, Raquel Dodge, tratou da prisão após condenação em segunda instância. Isso tudo em nome da defesa da impunibilidade. A impressão que o brasileiro tem de que a Justiça é como a dos filmes americanos é errada. É muito frágil a decisão do Judiciário brasileiro. O excesso de processos e falta de funcionários justifica.

Confira o comentário completo de Joseval Peixoto: