Um país que esquece seu passado, é um país sem futuro

  • Por Jovem Pan
  • 21/07/2017 10h34
ReproduçãoAdhemar Ferreira da Silva, nosso grande atleta olímpico e que completa, em 23 de julho, 65 anos da conquista da medalha de ouro olímpica em Helsinque

Os jornais do mundo todo estampam a foto de O.J. Simpson, que será solto em outubro após ficar preso mais de nove anos. Ele é um dos maiores ídolos dos Estados Unidos e a sociedade americana tem um grande respeito por esse grande atleta.

Também é destaque o grande tenor Pavarotti, que será homenageado pelos 10 anos de sua morte.

Enquanto isso, no Brasil, temos o esquecimento de Adhemar Ferreira da Silva, nosso grande atleta olímpico e que completa, em 23 de julho, 65 anos da conquista da medalha de ouro olímpica em Helsinque.

Hoje, sua filha, dá declaração sobre a forma que, inclusive o COB, esqueceu desse ídolo do esporte brasileiro: “é uma desfaçatez o país inaugurar aparelhos olímpicos e não batizar nenhum deles com o nome dele”.

Segundo a reportagem, o COB não repassava os convites de outros países ao atleta.

Enquanto a Itália homenageia seu grande cantor, os EUA desdobram seu entusiasmo por um atleta condenado, o Brasil deixa de lado um medalhista de ouro em Olimpíada. Um país que esquece seu passado, é um país sem futuro.

Assista ao comentário completo de Joseval Peixoto: