O veneno de Praljak e os camarões de Cabral

  • Por Jovem Pan
  • 01/12/2017 10h55

EFE

Por entender que a punição estava errada tirou sua própria vida, enquanto isso, Cabral se esbalda em camarões

Condenado por genocídio o bósnio Slobodan Praljak, que tomou veneno após escutar sua condenação a 20 anos de prisão. Por entender que a punição estava errada tirou sua própria vida. Ele tinha na cabeça que a política de extermínio de muçulmanos era certa. Comparo a políticos brasileiros da Operação Lava Jato.

Confira o comentário completo de Carlos Madureira: