Ministério da Justiça nega que a Força Nacional irá atuar dentro dos presídios em Roraima.

A pasta desmentiu anuncio feito pelo Estado, nesta terça-feira, e apontou que o contingente será usado para a segurança pública.

Marco Antonio Villa comenta: Volta a questão constitucional: quais são as atribuições do governo federal e quais são as atribuições do governo federal em relação à segurança pública. Grande parte das atribuições nesta área cabe aos Estados.

Amazonas tem condições de gerir a segurança pública? Não. É caso de intervenção federal. E as acusações contra o governador são muito sérias.

O diretor do presídio foi acusado de ter recebido dinheiro de uma das facções criminosas que atuam no presídio e foi afastado pelo governador.

A decisão foi tomada após vir a pública duas cartas de detentos que expunham que o diretor do complexo penitenciário recebeu dinheiro para facilitar a entrada de armas e drogas. Coincidentemente os dois autores dessas cartas acabaram morrendo na rebelião.

Amazonas e Roraima têm condições de autonomia política? Não.

É uma verdadeira bagunça e ninguém tem coragem de cumprir a Constituição. Onde está o Supremo nessa hora? Está em férias, descansando.