Não é possível que quem faz discurso de ódio possa estar solto e ser candidato à Presidência

  • Por Jovem Pan
  • 12/02/2018 10h14
Janine Moraes/Agência CâmaraA que ponto nós chegamos? Quem advoga ideias como essa estimulam a violência

Na coluna de Lauro Jardim há duas notas deste domingo: Solução Final 1 e Solução Final 2. “Jair Bolsonaro deu a sua receita para resolver a guerra da Rocinha, num grande evento promovido na semana passada pelo BTG Pactual. Uma solução simples — e idiota”, disse o jornalista do O Globo.

“A uma plateia de mil executivos do mercado financeiro, Bolsonaro disse que mandaria um helicóptero derramar milhares de folhetos sobre a favela, avisando que daria um prazo de seis horas para os bandidos se entregarem. Findo este tempo, se a bandidagem continuasse escondida, metralharia a Rocinha. Sinal dos tempos, foi aplaudido pelo público”, continuou a nota.

A que ponto nós chegamos? Quem advoga ideias como essa estimulam a violência.

Confira o comentário completo de Marco Antonio Villa: