O governo Temer não acaba

  • Por Jovem Pan
  • 19/05/2017 08h41
-FOTODELDIA- BRA18 BRASILIA (BRASIL), 12/05/2017 - El presidente de Brasil, Michel Temer (i), y el presidente de la Cámara de los Diputados, Rodrigo Maia (d), participan hoy, viernes 12 de mayo de 2017, en un evento cuando se cumple un año de mandato de Temer, en el Palacio del Planalto en Brasilia (Brasil). El mandatario brasileño cumplió hoy un año en el poder y afirmó que su Gobierno "encarrila" al país con "absoluta responsabilidad" y "sin populismo", en abierta alusión a Dilma Rousseff, destituida por irregularidades fiscales. EFE/Joédson AlvesEFE/Joédson AlvesPresidente Michel Temer e presidente da Câmara Rodrigo Maia

Michel Temer não renuncia e garante que vai sair da atual crise “mais rápido do que se pensa”.

Em pronunciamento, o presidente se defende das acusações e reafirma que não comprou o silêncio de Eduardo Cunha.

Temer declara ainda que ninguém o aconselhou a renunciar, mas sim, para que resistisse.

Marco Antonio Villa comenta: e o STF faz muito bem. O ministro Fachin age muito bem. Lembre-se que o trio da Segunda Turma estava bombardeando Fachin. Eles sabiam que viria uma bomba. Por isso estavam sabotando a Justiça. Eles perderam. E quando esse trio (Lewandowski, Toffoli e Mendes) perde o Brasil ganha.

Michel Temer foi aconselhado, sim, a renunciar. Resolveu não fazê-lo. E a crise vai se aprofundar. O momento mais crítico não foi na quarta-feira.  O momento mais crítico será. Pode ser daqui a uma hora, um dia, dois dias. O governo Temer não acaba.

Esse Rodrigo Rocha Loures, se falar, acaba com o governo. Ele deveria estar preso.

Assim como Aécio Neves. Ele deveria ter sido preso imediatamente. A conversa que ele teve foi de malandro, vagabundo. A forma, a linguagem dele.