Para dar fim ao déficit de 250 mil vagas no sistema penitenciário nacional, o Conselho Nacional de Justiça estimou o investimento de ao menos R$ 10 bilhões.

O comentarista Marco Antonio Villa questiona o valor estipulado pelo órgão: “de onde o CNJ tirou esse número? É um absoluto chute”.

Mesmo sem um censo do sistema carcerário, o Conselho estimou os gastos de que cada nova vaga no sistema seria de um montante de R$ 40 mil a R$ 50 mil aos cofres públicos. Villa, no entanto, critica os números: “vivemos, no campo da administração pública, um eterno Carnaval”.

Ele ainda questiona se o assunto dos massacres nos presídios irá cair no esquecimento e clama: “nossa arma tem que ser a memória. A gente não pode esquecer. Temos que cobrar. A cobrança é eterna”.

Confira o comentário completo: