0:00
0:00

Aécio consegue unir partidos para rever decisão do STF, mas não melhora situação no PSDB

  • Por Jovem Pan
  • 28/09/2017 08h26

Jefferson Rudy/Agência Senado

O que une os partidos, mais que qualquer defesa constitucional é o puro corporativismo

A decisão da Primeira Turma do STF pode se transformar em impasse, porque o Senado ameaça descumprir a decisão. É mais que uma ameaça, já existe quase uma deliberação de não acatar o afastamento e levar isso ao plenário para ser votado.

Diz o Senado que não há previsão constitucional nem para se afastar um senador do mandato e nem para o que eles chamam de prisão, mas que na verdade é um recolhimento noturno.

Esta é uma articulação pluripartidária. Aécio conseguiu juntar, por conta disso, conseguiu reunir partidos em maioria franca no Senado.

Cabe muito pouco ao Supremo uma vez que o Senado não acate. Para ir ao plenário da Suprema Corte, caberia ainda recurso. Para que fosse a plenário, a decisão deveria ter cabido ao relator Marco Aurélio Mello. O Supremo, portanto, fica meio amarrado.

O que une os partidos, mais que qualquer defesa constitucional é o puro corporativismo. A resistência é alvo de inquéritos e processos, mas Supremo abriu flanco ao tomar decisão exótica.

A solidariedade entre partidos, no entanto, não melhora a situação interna no PSDB.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: