0:00
0:00

Doria coloca vice na articulação política para não explicitar crise; prefeito nega motivo

  • Por Jovem Pan
  • 31/10/2017 08h26

Charles Sholl/Estadão Conteúdo

O prefeito, via WhatsApp, negou qualquer rusga com seu vice Bruno Covas e disse que suas relações com ele são as melhores possíveis e que “Bruno terá seu próprio espaço” e será privilegiado com a mudança

Na tentativa de disfarçar uma crise política em sua própria gestão, o prefeito de São Paulo, João Doria, deslocou seu vice, Bruno Covas, da Secretaria de Prefeituras Regionais para a articulação política, junto a Julio Semeghini.

Aliados de Doria falam mal de Covas e vice-versa. A crise começou com a demissão de Fabio Lepic, ex-secretário-adjunto de Covas na pasta, sob a justificativa de que vai mal a zeladoria da cidade – e realmente vai.

Mas a demissão por essa justificativa omitia o fato de que Lepic estava sendo acusado por parceiros da Prefeitura de fazer campanha antecipado para o cargo de deputado.

O prefeito, via WhatsApp, negou qualquer rusga com seu vice Bruno Covas e disse que suas relações com ele são as melhores possíveis e que “Bruno terá seu próprio espaço” e será privilegiado com a mudança.

Enquanto isso, há a discussão sobre uma eventual candidatura à Presidência da República. Mas há ainda o problema de se justificar ao eleitor que está deixando o cargo para ser candidato e deixar no seu lugar alguém com quem você não tem boa relação.

A verdade é que nas semanas anteriores, Bruno Covas vem conversando com tucanos para concorrer ao cargo de deputado federal.

As coisas estavam bastante ruins, mas pelo jeito as partes estão atuando para normalizar.

Assista ao comentário completo de Vera Magalhães: