0:00
0:00

Doria costura por fora e não desiste do Planalto

  • Por Jovem Pan
  • 07/08/2017 11h13
Eduardo Ogata/Prefeitura de São PauloEduardo Ogata/Prefeitura de São PauloDoria colocou uma bandeira do Brasil na varanda do seu gabinete para comemorar a condenação de Lula em 13 de julho

O prefeito de São Paulo João Doria participa de protocolo nesta segunda-feira com o presidente Michel Temer em cerimônia na Prefeitura e, logo depois, decola para Salvador, onde se reúne com prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e com empresários locais.

A agenda de Doria é a de um candidato em campanha. Doria foi capa da revista Istoé neste fim de semana se colocando como o “anti-Lula”. O tucano não se fez de rogado nem desmentiu as intenções. Mas republicou a capa da revista em suas redes sociais.

Publicado por João Doria em Sábado, 5 de agosto de 2017

Neste domingo (6), Doria ainda fez a “inauguração” da instalação de 28 bandeiras do Brasil em trecho da Avenida Brasil, na zona sul. O prefeito repetiu discurso nacionalista e o lema de que a bandeira nacional “jamais será vermelha”. Para o evento em São Paulo, foram convidados líderes do PSDB de outros Estados, como a deputada Mariana Carneiro (PSDB-RO), representante dos chamados “cabeças-pretas” da Câmara, os tucanos mais novos.

Doria se aproxima desse grupo de deputados e quer ter neles uma opção de influência em Brasília e na executiva do PSDB. O prefeito, assim, se contrapõe ao governador Geraldo Alckmin sem precisar disputar prévias com seu padrinho político.

A movimentação de Doria não passa despercebida pelo Palácio dos Bandeirantes. A capa da Istoé causou mal-estar entre o staff do governador, que também almeja 2018.

Na quinta passada (3) João Doria foi ao Paraná e se encontrou com o governador tucano local Beto Richa.

Doria vai, deste modo, costurando o PSDB por fora e tenta se impor como candidato à Presidência em 2018.