0:00
0:00

Em resposta rápida, PGR pode pedir prisão de delatores da J&F nos próximos dias

  • Por Jovem Pan
  • 08/09/2017 08h30
Rovena Rosa/Agência BrasilIsso acontece por conta da PGR querer responder, em tempo hábil, à humilhação a qual ela foi exposta pelas peripécias do grupo

Mesmo no feriado os trabalhos da Procuradoria-Geral da República continuam firmes. Nesta quinta-feira (07), o MPF ouviu os delatores da J&F – Joesley Batista, Ricardo Saud e Francisco de Assis – e as informações são de que o sol pode nascer quadrado para eles antes do que imaginamos.

Isso acontece por conta da PGR querer responder, em tempo hábil, à humilhação a qual ela foi exposta pelas peripécias do grupo. Nesta sexta-feira (08), a PGR deve ouvir ainda o ex-procurador e ex-braço-direito de Rodrigo Janot, Marcelo Miller.

Segundo a comentarista Vera Magalhães, Janot não quer deixar as resoluções disso para a sua sucessora, Raquel Dodge. “Falei com fontes na Procuradoria e podemos esperar resposta ainda para hoje, no mais tardar na segunda-feira”, diz.

Janot, agora gato escaldado, não deve ser condescendente nem mesmo com seu ex-procurador, muito menos com os delatores. Ele deve pedir medida cautelar e suspender benefícios, além de medida penal contra Miller.

“Ele está tentando salvar as investigações derivadas a partir daí. Os ministros do Supremo estão divididos quanto a isso [anular as provas], porque a partir da gravação com Temer muita coisa se desenrolou. Mesmo vindo de árvore contaminada, algumas provas obtiveram autonomia – como é o caso de Aécio neves, Rodrigo Rocha Loures e adjacentes. No caso dessas, a autonomia foi validada por ação controlada autorizada pelo Supremo”, explica Vera Magalhães.

Confira o comentário completo: