A defesa de Aécio Neves criticou a pressa da Procuradoria-Geral da República em apresentar a denúncia contra o senador, mas é o fato de haver denunciados presos - como Andrea, irmã do tucano - que dita o rito.

Será uma das primeiras vezes em que o STF terá de tocar um processo com réus presos, caso Andrea e os demais não tenham a prisão preventiva revogada. Com isso, Aécio terá seu caso julgado mais rápido que outros parlamentares, como Renan Calheiros (PMDB).